Diabetes Mellitus em Cães 

Não é incomum chegarem ao consultório pacientes diabéticos com controle glicêmico inadequado. Muitas vezes, ao repassar o manejo da insulina  com o proprietário, encontro alguns erros na conservação ou aplicação da insulina que, por si, podem ser responsáveis pelo descontrole glicêmico.  Atualmente os proprietários dos meus pacientes diabéticos recebem, junto com a receita da insulina, uma pequena relação de cuidados básicos de manejo, que compartilho com vocês:

 

 

 

RECOMENDAÇÕES PARA O PACIENTE DIABÉTICO

 

CUIDADOS BÁSICOS

O cão diabético necessita da aplicação diária de insulina para controlar os níveis de açúcar no sangue. Sem a insulina, o cão diabético não consegue transformar os alimentos em energia, ficando cada vez mais fraco e doente.

A dieta adequada a cães diabéticos é essencial para a saúde de seu cão, que necessita dos alimentos certos, em horas específicas e na quantidade adequada. Todos os “extras” interferem no controle da glicemia e prejudicam a saúde de seu animal, devendo ser evitados. A rotina alimentar, junto à aplicação correta da insulina,  são os maiores aliados para garantir a qualidade de vida de seu cão.

 

 

INSULINA

 

A insulina requer alguns cuidados simples, mas fundamentais:

  • Guarde a insulina na prateleira de verduras ou de frios da geladeira (não na porta), dentro da própria caixa ou embrulhada em papel alumínio;

  • Troque o frasco de insulina a cada 30 dias à recomendamos estabelecer um dia certo no mês para realizar a troca do frasco, por exemplo todo dia 10;

  • Antes de aplicar a insulina, role o frasco delicadamente entre as palmas das mãos, de forma a homogeneizar o conteúdo;

  • Passe algodão com álcool na tampa do frasco, antes de “puxar” a dose de insulina com a seringa;

  • Evite a formação de bolhas de ar na seringa.

 

 

SERINGAS

 

  • Use apenas seringas próprias para aplicação de insulina de 30 ou 50 unidades (não utilize seringas de 40 ou 100 unidades);

  • O ideal é utilizar cada seringa uma única vez. Se quiser reutilizar, coloque álcool APENAS NA TAMPA LARANJA, recoloque na seringa, cobrindo a agulha e guarde NO CONGELADOR. Não reutilize mais que uma vez.

 

 

 

APLICAÇÃO

  • Aplique na região das costelas, variando os locais de aplicação, sempre por via subcutânea (abaixo da pele);

  • Se estiver em dúvida se a insulina foi corretamente aplicada, NÃO APLIQUE NOVAMENTE (pois em excesso a insulina pode  causar hipoglicemia).

Endocrinologia

Veterinária.com 

M.V. MSc.
Alexandre Bastos Baptista

 

 

  • Facebook Metallic