HIPOTIREOIDISMO EM CÃES E PROBLEMAS COMPORTAMENTAIS

 

Há 20 anos quando só se pensava em letargia e apatia como alterações

comportamentais do Hipotireoidismo.

 

Atualmente um acúmulo de evidências e vários estudos mostarm diversas

alterações comportamentais que podem estar relacionadas com a doença.

 

Em humanos várias disfunções neurológicas e psiquiátricas já foram

relacionadas ao Hipotireoidismo, inclusive perda de memória, baixa concentração, ansiedade, depressão e psicose. Estas alterações são resultado de alterações na expressão de neurotransmissores, neuromoduladores e fatores de crescimento associadas à disfunção tireoidiana. Em cães temos relatos de diversas alterações como agressividade, timidez, medo, excitabilidade, passividade, irritabilidade, temperamento instável, etc..

 

FILHOTES E JOVENS

A doença pode afetar o comportamento já quando o cão é muito jovem. Em geral um filhote que previamente apresentava comportamento normal apresenta uma “transformação” ao chegar à puberdade ou um pouco depois. As principais manifestações associadas são:

 

- vocalizações constantes (ganidos e choros);
- comportamento esquizoide (alterações bruscas de humor e comportamentos);
- medo de estranhos;
- desorientação;
- dificuldade de aprendizado (diminuição da capacidade de concentração);
- hiperatividade
- ansiedade de separação;
- agressividade (inclusive contra cães desconhecidos)

 

ADULTOS

- agressividade;
- convulsões;
- desorientação;
- mudanças de humor;
- hiperatividade;
- falta de atenção;
- depressão;
- medo e fobias;
- ansiedade;
- passividade;
- comportamentos compulsivos;
- irritabilidade

 

Estas manifestações são episódicas e os cães os manifestam como se em um estado de transe, do qual saem sem aparente lembrança do ocorrido.

 

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico de Hipotireoidismo apresenta desafios e deve ser realizado pelo profissional mais habilitado – o Médico Veterinário Endocrinologista. O T4 total não é o exame mais adequado e sofre flutuações por uma série de razões (inclusive temos muitos cães erroneamente diagnosticados e tratados). Dependendo da idade do paciente e as manifestações que apresenta os exames devem compreender um painel tireoidiano onde se avalia o T4 livre (por diálise de equilíbrio) o TSH e os anticorpos antitireoglobulina – estes exames devem ser avaliados pelo Endocrinologista para o correto diagnóstico e tratamento.

 

Endocrinologia

Veterinária.com 

M.V. MSc.
Alexandre Bastos Baptista

 

 

  • Facebook Metallic