HIPERADRENOCORTICISMO

(SÍNDROME DE CUSHING) EM CÃES 

O Hiperadrenocorticismo Canino, também conhecido como Síndrome de Cushing, é uma das mais, se não a mais, frequente endocrinopatia de cães idosos. As raças mais afetadas são o Poodle, o Teckel (Dachshund) e o Yorkshire Terrier mas cães de todas as raças e sem raça definida podem ser afetados.

 

Em cães, o Hiperadrenocorticismo compreende um conjunto de manifestações clínicas geralmente associadas ao aumento da concentração do Cortisol (o glicocorticóide mais importante no organismo de cães e gatos). Este aumento tem duas causas básicas:

 

- TUMORES NA HIPÓFISE - em 85% dos casos. Estes tumores são em geral pequenos (microadenomas) e benignos

- TUMORES NAS ADRENAIS - em 15% dos casos. Estes tumores tem chances semelhantes de serem benignos ou malignos

 

No Hiperadrenocorticismo Canino devido a tumores na hipófise (chamado de ACTH-dependente), tumores hipofisários secretam o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) em excesso, o que estimula as adrenais à secreção contínua e intensa de Cortisol.

 

No Hiperadrenocorticismo devido a tumores nas adrenais (chamado de ACTH-independente), adenomas (benignos) ou adenocarcinomas (malignos), produzem Cortisol em excesso, independente das concentrações de ACTH que a Hipófise secrete.

 

O diagnóstico do Hiperadrenocorticismo em Cães, seja ele ACTH-dependente ou ACTH-independente, requer testes da função adrenal, notadamente o teste de supressão com baixa dose de dexametasona – TSBDD - e o teste de estimulação com ACTH - TEACTH. Há casos em que não é o Cortisol o hormônio envolvido (as Adrenais produzem mais de 50 hormônios - veja a página sobre Hiperadrenocorticismo Atípico em Cães).

 

 

TRATAMENTO

 

Atualmente o medicamento mais utilizado no tratamento do Hiperadrenocorticismo em Cães é o Vetoryl (princípio ativo o trilostano) que é um bloqueador da produção hormonal. Visite a página sobre Tratamento do Hiperadrenocorticismo em Cães com Vetoryl e a página que compara o tratamento com Vetoryl x Trilostano Manipulado para maiores informações.

 

Outra possibilidade é o uso do Lysodren (Mitotano), um quimioterápico que destrói parcialmente o cortex adrenal.

 

Em casos de tumores adrenais deve-se avaliar a possibilidade da cirurgia, através de exames específicos. Quando o paciente é corretamente diagnosticado e passa pelo controle prévio da doença e exames necessários, a cirurgia pode representar a cura do Hiperadrenocorticismo.

 

 

DIAGNÓSTICO DO HIPERADRENOCORTICISMO EM CÃES:

QUANDO DESCONFIAR:

Há alguns anos, geralmente os pacientes só eram diagnosticados quando a doença já estava avançada ou quando as manifestações clínicas eram muito acentuadas.

Atualmente, com a melhora dos métodos diagnósticos e o maior conhecimento dos Clínicos Gerais sobre as nuances do Hiperadrenocorticismo, muitas vezes o paciente chega para o tratamento endocrinológico ainda em estádios iniciais da doença, algumas vezes apenas com alterações nos exames bioquímicos (como a Fosfatase Alcalina muito aumentada).

INDICATIVOS PRECOCES

- aumento da Fosfatase Alcalina (muitas vezes a primeira alteração);

- trombocitose: plaquetas no limite superior ou acima;

- eritrocitose: o Cortisol estimula a produção de hemácias (e também plaquetas); em geral temos valores do hematócrito no limite superior ou acima;

- abdomen abaulado, distendido, com conformação pendular;

- polifagia: o HAC é uma das poucas doenças que envolvem o aumento de peso devido à fome exagerada;

- pele (melhor visualizada no abdômen) distrófica (fina, semelhante a pergaminho), com comedos (pequenos pontos pretos);

- infecções urinárias recorrentes

MANIFESTAÇÕES TÍPICAS
(além das acima):

- Poliúria e Polidipsia: o excesso de produção de urina leva à sede excessiva;

- Alopecia: a perda ou rarefação da pelagem é simétrica e bilateral. É típica também a perda de pelo na cauda ("cauda de rato", tia por muitos como típica do ipotireoidismo apenas). Como o HAC leva à diminuição dos hormônios tireoidianos, muitas vezes é feito o diagnóstico equivocado de Hipotireoidismo;

- Infecções de pele;

- Alterações na ultrassonografia: hepatomegalia (aumento do fígado)  com ecogenicidade alterada, algumas vezes esplenomegalia; (aumento do baço). Adrenais medindo mais de 0,5cm de largura (seja nos polos ou no corpo das adrenais) é sugestivo de hiperfunção;

- Hipertensão arterial;

- Problemas de locomoção/diminuição da agilidade (devido à perda muscular);

etc…

Endocrinologia

Veterinária.com 

M.V. MSc.
Alexandre Bastos Baptista

 

 

  • Facebook Metallic